Em decorrência do ano eleitoral de 2024, bem como a Lei Federal nº 9.504/1997, que estabelece normas gerais para eleições e determina as condutas vedadas aos agentes públicos, configurando algumas condutas como abuso de poder, bem como a infringência ao art. 37, §1º da Constituição Federal, as notícias deste site estão desabilitadas até o fim do período eleitoral.

MOBILIDADE URBANA: Reurbanização da Av. Júlio César é mais uma nova obra da Prefeitura de Belém à COP-30

Belém terá a reurbanização da avenida Júlio César, via que começa no bairro do Souza e segue até Val-de-Cans. É mais uma nova obra preparatória para a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2025, a COP-30, com respeito ao meio ambiente, à sustentabilidade e, sobretudo, à mobilidade urbana da população, em especial para quem trafega na via. 

Na manhã desta terça-feira, 11, a Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria de Urbanismo (Seurb), assinou a Ordem de Serviço (OS) de R$ 136,6 milhões para o início das obras de reurbanização da via.

A OS foi assinada pelo prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues; pelo secretário de Urbanismo de Belém, Lélio Costa; e pela titular da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob), Valéria Borges, na praça Dorothy Stang, na Sacramenta.   

Foto: Amarilys Marisa/Comus

Na primeira fase do projeto, o prefeito destacou que a obra contará com cinco vias, ciclovias e garantir a preservação de cinco quilômetro de canteiro central da Júlio César. Além da modernização do processo de paisagem, preservando todo o verde da avenida, e da iluminação, com novo posteamento.

“Ampliaremos o elevado Daniel Berg, na Júlio César com a Pedro Álvares Cabral. E, próximo ao Aeroporto mais ou menos na entrada da Transmangueirão, daremos fim a um alagamento histórico com a construção de uma ponte”. 

Foto: Marcelle Andrade/Ascom Seurb

Ainda segundo o prefeito, a segunda etapa será a modernização da via propriamente dita e sem causar transtornos, como ocorreu nas avenidas Almirante Barroso e Augusto Montenegro. 

“Vamos fazer grandes obras, que terão algum impacto, mas nossa equipe tem competência para trabalhar sem criar transtornos para a cidade. O objetivo é melhorar a vida do povo, de quem mora e trafega na Júlio César e, principalmente, das pessoas que moram nos conjuntos habitacionais, Marex, Val-de Cans, Maracangalha, Sacramenta e Barreiro”, explicou Edmilson Rodrigues.  

Foto: Amarilys Marisa/Comus

O secretário de Urbanismo de Belém, Lélio Costa, ressaltou que este momento só foi possível porque o prefeito é Edmilson, que pediu a requalificação do projeto. 

“O prefeito teve a coragem de pegar um projeto caracterizado como ultrapassado e dizer ‘esse não vai ser feito em Belém’. O prefeito fez questão de propor a adequação do projeto e, como a proposta foi arrojada e justa, foi aceita e acatada, e haverá um novo momento na mobilidade de Belém”. 

Foto: Amarilys Marisa/Comus

“O projeto trará qualidade na ciclovia, iluminação pública, preservação do meio ambiente, ou seja, é o cuidado que o prefeito tem com a cidade, com as pessoas e com a COP-30”, reforçou o secretário. 

PROJETO – O projeto será executado pelo Consórcio TP BRT Centenário e conta com duas fases. A primeira delas conta com prazo de execução em 18 meses. A obra vai ocorrer na avenida Júlio César, entre a praça São Cristóvão e o Aeroporto Internacional de Belém, em Val-de-Cans. 

Em geral, a obra envolve os serviços de terraplenagem, pavimentação, drenagem, sinalização, paisagismo, obras de artes especiais, estações de passageiros e obras de reurbanização destinados à implantação do sistema de transporte expresso, na avenida Júlio César. 

Imagem: Reprodução do Projeto/Seurb

Pré-COP – Esta primeira etapa de implantação é a pré-COP-30, que ocorrerá em Belém em novembro de 2025. Com prazo de execução em 18 meses, nela terá a execução de ponte (elevado), entre a avenida Paulo Frota e o Aeroporto Internacional de Belém; alargamento das alças do elevado Daniel Berg; reforço da cabeceira da ponte sobre o canal São Joaquim; inserção de faixa de via preferencial; recapeamento; e sinalização horizontal da via. 

Pós-COP – Já na fase de implantação pós-COP-30 haverá a execução das Estações de Passageiros, execução das canaletas de tráfego, restauração das vias de tráfego de veículos (pavimento flexível), ciclovias, passeios, urbanização, iluminação e drenagem. 

A Prefeitura de Belém reforça que todas as decisões foram discutidas e analisadas em reuniões entre a Seurb, a Caixa Econômica Federal, o Ministério das Cidades, o Consórcio Gerenciador TPF-Encibra e representantes do Consórcio construtor TP-BRT Centenário. 

As Licenças Ambientais Prévias (LP) de Instalação (LI) já foram emitidas pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semma).

Texto: Cleide Magalhães/Ascom Seurb.

Compartilhe essa notícia:
Facebook
Twitter
WhatsApp
LinkedIn
Email
Leia também:

Redes Sociais